2442-8004 / 3153-1098 contato@clinicagerarvida.com.br

Fertilização In Vitro (FIV)

Método de reprodução assistida que envolve a retirada dos óvulos dos ovários e sua fertilização com espermatozoides no laboratório.  Os embriões resultantes são transferidos após 2 a 5 dias de incubação para o útero materno.

Existem muitos fatores que impedem a união entre espermatozoide e óvulo.  Assim, a FIV consegue promover esta união em laboratório.  Inicialmente a FIV foi usada para o tratamento de mulheres com trompas obstruídas ou danificadas ou mesmo sem trompas.  Atualmente a FIV é aplicada em muitos quadros de infertilidade, como endometriose, alterações espermáticas ou em casos de infertilidade sem causa aparente.

As etapas da FIV são a estimulação dos ovários com medicações específicas, aspiração dos óvulos dos ovários, fertilização do óvulo com o espermatozóide, cultura dos embriões e transferência embrionária para o útero materno.

ESTIMULAÇÃO OVARIANA

Durante a estimulação ovariana são utilizadas medicações que induzem o crescimento de vários folículos nos ovários.  Cada folículo pode dar origem a um óvulo, em um ciclo natural há o crescimento de apenas um folículo, no tratamento tentamos estimular vários folículos para se obter vários óvulos, Isto porque alguns destes óvulos podem não ser fertilizados ou ter um desenvolvimento anormal mesmo na técnica de FIV.

O tempo de cada etapa é essencial no tratamento da FIV.  Os ovários são estimulados por medicações e seu crescimento é monitorado por exames de ultrassonografia transvaginal seriada.  Dosagens hormonais são realizadas para avaliar a resposta dos ovários aos medicamentos indutores.  Normalmente, os níveis de estrogênio aumentam  a medida que os folículos se desenvolvem e os níveis de progesterona tem seu aumento após a ovulação.

Através dos exames de ultrassonografia e dosagens hormonais o médico especialista determina quando os folículos estão prontos para serem aspirados.  Geralmente necessitam de 8 a 14 dias de estímulo hormonal.  Quando os folículos atingem o diâmetro ideal e os níveis de hormônios são compatíveis programa-se a aspiração dos folículos para obtenção dos óvulos.

Cerca de 20% dos casos podem ser cancelados antes da aspiração dos óvulos.  Os ciclos podem ser cancelados por uma variedade de razões, como o baixo número de folículos estimulados.  As taxas de cancelamento devido à baixa resposta ovariana aumentam com a idade materna, especialmente após 35 anos.  Quando o tratamento é suspenso por conta de má resposta ovariana podem-se usar alternativas medicamentosas que aumentem as chances de resposta em um futuro tratamento.  Atualmente, raros ciclos podem ser suspensos por conta de hiperestímulo ovariano.

 

ASPIRAÇÃO FOLICULAR

A aspiração folicular é guiada por ultrassonografia transvaginal, um procedimento de baixa complexidade realizado em centro cirúrgico, na presença de médico anestesista.  Uma sonda de ultrassom passa pela vagina com uma agulha que perfura o ovário e coleta o líquido folicular de cada folículo.  Os óvulos são capturados do líquido folicular  pelo embriologista no Laboratório de FIV.

 

FERTILIZAÇÃO

Os óvulos isolados do líquido folicular são identificados e classificados no laboratório de FIV quanto a sua maturidade e qualidade.  Cada óvulo maduro é inseminado por um espermatozóide.  A obtenção dos embriões pode ser feita pela técnica de FIV Convencional na qual espermatozóides e óvulos são colocados no mesmo ambiente e a fertilização ocorre naturalmente; ou  a fertilização pode ser feita pela técnica de Injeção Intracitoplasmática de Espermatozóides (ICSI), na qual um único espermatozoide é injetado no interior de um óvulo maduro.  Nos Estados Unidos 60% dos casos de FIV são realizados com a técnica de ICSI.  Geralmente opta-se pela ICSI quando existe uma menor chance de fertilização como em casos de má qualidade do sêmen ou falha de fertilização em ciclo anterior de FIV.

Cerca de 65 a 75% dos óvulos maduros irão fertilizar.  Os embriões formados na FIV são mantidos em incubadora por 2 a 5 dias.  Estas incubadoras possuem condições de temperatura e atmosfera semelhantes às trompas .  Dois dias após a aspiração folicular o óvulo fertilizado divide-se e se torna um embrião de 2 a 4 células.  Por volta do terceiro dia o embrião que se desenvolve normalmente contem de 6 a 10 células.  No quinto dia forma-se uma cavidade no interior do embrião e  este passa a chamar-se blastocisto.

 

TRANSFERÊNCIA EMBRIONÁRIA

Os embriões podem ser transferidos para o útero materno em 2 a 5 dias após a aspiração dos óvulos.  A transferência é feita sem anestesia, guiada por ultrassom.  Um cateter é introduzido pela vagina até o útero onde um ou mais embriões são transferidos, de acordo com a idade da paciente, seguindo as normas do Conselho Federal de Medicina.