(21) 2494-3856 / (21) 2442-8004 / (21) 3153-1098 / WhatsApp: (21) 99944-8090 contato@clinicagerarvida.com.br

Cada vez mais as taxas de gravidez em tratamentos de Fertilização in vitro têm aumentado. Principalmente devido à estimulação ovariana de melhor qualidade.

Desde os ciclos naturais até os diferentes protocolos de estimulação hormonal, o objetivo é sempre maximizar o desenvolvimento dos folículos.

No entanto, têm surgido muitas dúvidas em relação ao fato de coletar mais óvulos estar associada ao aumento da taxa de gestação (“Is more better?”).

Para as pacientes que optam pela transferência de embriões a fresco e não ter embriões sobrando para congelar, a obtenção de muitos óvulos não faz sentido.

Pesquisadores de Illinois, EUA, fizeram um estudo onde demonstraram que para pacientes com bom prognóstico, que desejam a transferência de um único embrião, a estimulação excessiva dos ovários não é interessante.

Sabe-se ainda que a receptividade do endométrio pode sofrer com níveis elevados de estradiol e progesterona, que sempre acontecem na resposta excessiva aos hormônios, prejudicando assim as transferências a fresco.  Os estudos concluíram que nem sempre obter mais óvulos pode ser a melhor opção, além de aumentar o gasto com medicamentos e não aumentar a taxa de sucesso da FIV.

Você conhece a Mini-FIV?

A miniFIV é uma opção de menor gasto com medicação, óvulos de boa qualidade e resultados iguais a FIV convencional.

Fonte:
Fert Ster, 112(3): 474, 2019